sábado, 25 de agosto de 2012

A menina. Outra página qualquer



Era mais um daqueles dias chuvosos e frios que ela tanto odiava, havia crescido em meio ao calor constante e adorava a claridade durante quase todo o ano, e por alguma razão geográfica nesse lugar chovia constantemente.  A menina sabia o que deveria fazer, abriu mais um livro e foi pro mundo que criou ultimamente essa era a única forma que encontrava para fugir dos seus fantasmas, aqueles mesmos que lhe fizeram companhia tantas noites, hoje ela não queria ninguém por perto, nem mesmo seus fantasmas.

Já havia se cansado das lembranças que a muito lhe atormentavam, estava cansada de pensar nos próprios erros e tentar corrigi-los, estava começando a achar que ainda se afogaria neles, ou na tentativa de mudar. Só queria por um dia ter tudo o que deixou pra trás, só ouvir as vozes que ainda hoje em sonhos soam tão familiares, e sim, ainda causam dor... Saudade? Talvez, mesmo assim dói, sabe?

Mas era um tempo feliz, um tempo onde podia imaginar seu próprio mundo físico, onde mesmo acordada podia sentir que fazia parte de coisas simples, descomplicadas, coisas leves, era disso que sentia falta... A pressão sempre fez parte da sua vida, mesmo nesse tempo onde a simplicidade falava mais alto, mas por alguma razão a pressão agora era mais forte, mais dolorosa por não saber como mudar, talvez não precisasse mudar, talvez devesse dá um basta, gritar, sei lá...
Talvez devesse apenas encontrar outra forma de ser feliz...

Um comentário:

  1. Invitación

    Yo soy brasileño, y tengo un blog, muy simple.
    Estoy lhe invitando a visitar-me, y se posible, seguimos juntos por ellos.
    Fuerza, Alegría y Amizad.
    Ven acá, y, deja un comentario

    http://www.josemariacosta.com

    ResponderExcluir